Clique em uma das imagens abaixo para fazer o download da foto em PDF.

PSX_20190228_192124.jpg
PSX_20190614_192813.jpg
PSX_20190613_233243.jpg

Biografia reduzida
 

Alexandre de Castro Gomes é escritor de literatura para crianças e jovens,  pós-graduando em Literatura Infantil e Juvenil pela Cândido Mendes e já lançou mais de 30 livros no Brasil desde sua estréia em 2008, alguns publicados na Espanha, na China e na América Latina. São 655 mil cópias vendidas para governos, escolas e livrarias. O autor foi presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ), a mais importante entidade nacional de autores de LIJ, eleito e reeleito para os períodos 2015-2017 e 2017-2019. Através da AEILIJ, organizou e produziu diversos eventos, entre mesas de debates, exposições e a Blitz Literária, quando levou 30 autores de LIJ para 30 escolas públicas do município do Rio de Janeiro.

Alexandre teve títulos selecionados para programas de compras de governos, foi convidado para as maiores feiras de livros do país e recebeu o Selo de Distinção Cátedra 10 (Excelência em LIJ) pela Cátedra de Leitura da UNESCO / PUC-RJ, além de outros prêmios.

É o curador e idealizador do Prêmio AEILIJ e organizou, com a professora Cintia Barreto e a contadora de histórias Gizele Santos, a Conversa Literária Edição Especial do Dia Nacional do Livro Infantil na Biblioteca Parque Estadual, que contou com um público de 600 pessoas.

Organizou e editou anuários e antologias, montou sites para autores, manteve uma coluna literária, onde entrevistou escritores e ilustradores contemporâneos, e criou o Blogão.

Viaja o Brasil com as oficinas literárias Quero Ser Autor, dá palestras, faz curadoria de eventos e administra um site no endereço www.alexandredecastrogomes.com.

cert_mediadoresdeleitura.jpg
cert_roteiros.jpg

Alexandre de Castro Gomes é escritor de literatura infantil e juvenil e já lançou 30 livros desde sua estreia, alguns publicados na Espanha, na China e na América Latina. São 655 mil cópias vendidas para governos, escolas e livrarias.

Estudou em escolas americanas no Rio de Janeiro, formou-se em Direito pela UCAM e lançou seu primeiro livro em 2008.

Foi o presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ) eleito e reeleito para os períodos 2015-2017 e 2017-2019 e faz parte da diretoria dessa associação desde maio de 2011. 

É pós-graduando em Literatura Infantil e Juvenil, pela Universidade Cândido Mendes, e investe constantemente na própria formação profissional, já tendo feito os cursos de: Série de TV - Da ideia ao roteiro / Do roteiro à pré-produção, na Casa das Artes de Laranjeiras; Mediação de Leitura, pela Fundação Demócrito Rocha, no Ceará; Xilogravura, com o mestre gravurista Erivaldo Ferreira da Silva, pela Artesol; Padronagem, pela ESDI, entre outros. 

Alguns dos seus títulos foram selecionados para os programas PNAIC, PNBE, PNLD Literário, Minha Biblioteca de São Paulo, Minha Primeira Biblioteca do Rio de Janeiro, Mais Cultura de Fortaleza, Ler e Escrever da FDE-SP e outros.

Em 2011, recebeu o 1º lugar, na categoria para leitores fluentes e críticos, do Prêmio Nacional de Literatura Infantojuvenil de Ponta Grossa, com o texto O Tesouro do Lagarto de Fogo. Seu texto teatral Par de meias ganhou o Prêmio Cidade de Manaus de Teatro Infantil em 2014. Em 2016, sua obra O livro que lê gente recebeu o Selo de Distinção Cátedra 10 (Excelência em LIJ) pela Cátedra da UNESCO no Rio de Janeiro, como um dos melhores livros de 2016. O mesmo foi considerado o primeiro entre os 15 melhores livros do ano pela Leiturinha, o maior clube de leitura do país. No ano seguinte teve o livro La pelota o la niña recomendado no catálogo do Prêmio Fundación Cuatrogatos. Ainda em 2017, sua obra Quem matou o Saci? recebeu o Selo de Seleção Cátedra 10, destinado às obras com valor literário, plástico e editorial, e atento, sobretudo, à qualidade artística do diálogo texto/imagem. A avaliação foi feita por pesquisadores e especialistas de LIJ da Cátedra UNESCO de Leitura da PUC-Rio. Em 2018, o livro Os 12 trabalhos de Severino ganhou o terceiro lugar na categoria juvenil dos Prêmios Literários da Biblioteca Nacional.

Alexandre foi o organizador dos livros Filhos de Peixe (Editora Mar de Ideias), com contos de filhos e netos de autores de literatura infantil e juvenil, Trem de Histórias (Editora Caki Books), com textos e imagens de autores associados da AEILIJ, e Origens (Editora do Brasil), que revela as raízes familiares de cinco autores de LIJ brasileiros.

 

Foi dele a organização dos cinco primeiros anuários da AEILIJ e a edição do livro Histórias no prato. Ainda pela Associação, foi o idealizador e curador do Prêmio AEILIJ.

Alex idealizou, organizou e foi curador da Blitz Literária, atividade que levou 30 autores de LIJ para escolas públicas municipais e bibliotecas escolares municipais do Rio de Janeiro entre os dias 18 e 20 de abril de 2016. A Blitz foi uma parceria da AEILIJ com a SME-RJ. Em 2018, em outra parceria com a SME-RJ, levou 10 autores para as CREs, durante a primeira FLIRME (Festival Literário da Rede Municipal de Ensino).


Em 18/04/2018, Alexandre organizou, com a professora Cintia Barreto e a contadora de histórias Gizele Santos, o evento Conversa Literária Edição Especial do Dia Nacional do Livro Infantil na Biblioteca Parque Estadual, que contou com um público de 600 pessoas.

O autor criou e manteve a coluna Espaço LIJ, publicada na revista digital Sobrecapa Literal, onde entrevistou escritores e apresentou o trabalho de ilustradores de literatura infantil.


Projetou e programou o site eraumavez.com.br (ativo entre 2006 e 2010), para ajudar novos autores de literatura infantil e juvenil.

Mediou mesas de discussões e participou, como convidado, das maiores festas literárias do Brasil. Esteve na FLIP/Flipinha, Jornada Literária de Passo Fundo, Bienal do Livro de São Paulo, Bienal do Ceará, Feira do Livro de Porto Alegre, Fliporto, FLUPP, LER, Feira do Livro de Caxias do Sul, Festival Itinerante de Brasília, Salão FNLIJ para crianças e jovens, Primaverinha do Livro da LIBRE, entre outras.

Participou também de vários programas de incentivo à leitura: Paixão de Ler da Prefeitura do Rio de Janeiro, Literatura Viva do SESI-SP, Adote um Escritor da Prefeitura de Porto Alegre, Autor no Palco da Câmara Rio-Grandense do Livro, Passaporte da Leitura da Prefeitura de Caxias o Sul, Caixa de Cultura do SESI-SP, Fala Autor do SESC-RJ, D!scussões e Blitz Literária da AEILIJ...

Alexandre é casado com a ilustradora Cris Alhadeff (www.crisalhadeff.com), com quem tem dois filhos craques no desenho e mais de 10 livros em parceria.

O autor viaja o Brasil com as oficinas literárias Quero Ser Autor, dá palestras, faz curadoria de eventos e mantém um blog no endereço
http://alexandredecastrogomes.blogspot.com.

 

Obras do Autor:

 

Próximos lançamentos:

  • Memórias de um aluno totalmente dividido (Paulus)

  • AMONCA (Biruta)

  • Origens (Editora do Brasil)

  • O Rupestre (Zit)

 

Livros lançados:

  • Deu limerique na casa do bicho (Cortez - 2019)

  • Bichos de sombras (Estrela Cultural - 2019)

  • Tem visita no Condomínio dos Monstros (Baobá - 2018)

  • Os 12 trabalhos de Severino (SESI-SP – 2018)

  • El libro que lee a personas (Octaedro – 2018)

  • O porteiro do Condomínio dos Monstros (Baobá - 2018 / 2013)

  • Quem matou o Saci? (Escarlate – 2017)

  • Eu sou uma lagartixa! (Editora do Brasil – 2017)

  • Histórias no prato (AEILIJ – 2017) - edição/organização e um conto na antologia

  • O livro que lê gente (Cortez – 2016)

  • Como pode um pinguim no Polo Norte? (Bambolê – 2016 / Caki Books – 2011)

  • La pelota o la niña? (Melhoramentos - 2016)

  • Filhos de peixe (Mar de Ideias – 2016) – organização

  • Aniversário no cemitério (Zit – 2016 / Escrita Fina - 2013)

  • Encontros folclóricos de Benito Folgaça (Editora do Brasil - 2015)

  • Motim das letras (Globinho - 2014) – também em e-book

  • Essas maravilhosas geringonças (Franco - 2014)

  • A bola ou a menina? (Melhoramentos - 2014) – também em e-book

  • Robóticos (Rovelle - 2014)

  • O corvo e o dragão (Globinho – 2014) – também em e-book

  • Folclore de chuteiras (Peirópolis - 2014)

  • Monster’s Condo (RHJ – 2014)

  • Chapa Verde (Garamond - 2013) – também em e-book

  • Em cena: O julgamento do Chocolate (Baobá – 2013)

  • Histórias a quatro patas (FTD - 2012)

  • O lanterna (livro em Braille, parceria com a Fundação Dorina Nowill – 2012)

  • O menino que coleciona guarda-chuvas (Globo Livros - 2012)

  • Viagem mundial interativa (RHJ - 2012)

  • O tesouro do Lagarto de Fogo (Prefeitura de Ponta Grossa – 2011)

  • Trem de histórias (Caki Books – 2011) - organização e um conto na antologia

  • Festa do Calendário (RHJ - 2011)

  • Condomínio dos Monstros (RHJ - 2010)

  • Viagem espacial interativa (RHJ - 2009)

  • O julgamento do Chocolate (RHJ – 2008)

Como tudo começou

 

Sempre gostei de criar histórias mas não as colocava no papel. Minhas brincadeiras com soldadinhos e carrinhos de Matchbox envolviam situações complexas e finais surpreendentes. Como toda criança, meu irmão e eu usávamos bastante a imaginação e transformávamos o corredor da casa em pradarias para nossos cavalos e as camas em montanhas intransponíveis, chegando mesmo a criar cavernas com cobertores. Qualquer embalagem de isopor servia como nave espacial com ponte de comando e sala das máquinas. Os encostos de sofás e poltronas davam ótimas pistas para os carrinhos.

 

Cresci, mas as histórias permaneceram. Acabei estudando Administração de Empresas e Direito. Fui professor de inglês, guia turístico, tradutor, trabalhei com administração de imóveis, em área jurídica de seguradoras e na criação e administração de sites. No meio desse percurso conheci a Cris Alhadeff e fiquei fã de seu trabalho como ilustradora. Um dia ela me apresentou um livro infantil que um amigo dela escreveu: "Para Onde Vai a Escuridão Quando a Gente Acende a Luz?". Achei o livro muito bacana e tive o prazer de conhecer o autor, meu amigo Paulo Borges. Ainda nessa época, assistindo a um programa de TV, vimos a história de um casal que ganhava a vida assim: ela escrevia e ele ilustrava. Eles já tinham um monte de livros publicados e foi o incentivo final que eu precisava para dar vazão àquela vontade reprimida. "Cris! Eu escrevo e você desenha. Vamos ver onde isso vai dar!"

 

Em 1998 escrevi minhas primeiras 3 histórias com o intuito de publicá-las. Na época um amigo nos apresentou a uma pessoa que estava começando uma editora e ele se interessou por elas, mas como éramos todos muito inexperientes, o negócio não foi pra frente.

 

Meu filho nasceu em 2002 e com ele renasceu toda a minha vontade de escrever. Criei um site para ele. Mexi em algumas histórias que já estavam prontas e inventei outras. Não tive tempo de levar tudo adiante, até porque quando o Guigo começou a nos dar uma folga, nasceu a Nina em 2004. É claro que a vontade de trabalhar com o mercado literário infantil aumentou. E muito. Mas com duas crianças pequenas em casa e contas para pagar, o tempo era escasso.

 

Em 2007 juntei tudo o que eu tinha escrito e selecionei três textos para tentar a sorte. Imprimi, encadernei e mandei para três editoras. Duas me responderam propondo uma co-edição. Não era o que eu queria. Finalmente, em fevereiro de 2008, o Raphael, da RHJ, me ligou, disse ter gostado das histórias e que gostaria que eu publicasse meu primeiro livro com eles. No mesmo ano lançamos "O Julgamento do Chocolate", com ilustrações da Conceição Bicalho. Faltava o meu trabalho com a Cris, afinal foi isso que desencadeou toda a história, e ele veio no terceiro livro: "Condomínio dos Monstros" (2010).

 

© Alexandre de Castro Gomes 2017

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now